E de repente…

o coração pára ao som das seguintes palavras: “ o sangue não é do Max é da Yuki, olha!”

O chão à minha volta todo manchado de sangue, no inicio tinha visto apenas umas pingas agora via imensas manchas em meu redor. Como podia ser da Yuki se ela continuava a saltar e a correr, mas era…comecei a sentir-me tonta, literalmente a desfalecer, respirei fundo e pensei esquece lá as mariquices tenho que ver o que se passa, ela não tem mais ninguém que lhe possa valer, peguei-lhe na pata ensanguentada, levantei procurei vidro, pico nada…tinha que vê-la em casa, não coxeava, estava bem disposta e brincalhona, vamos lá rapidamente para casa então, no caminho até ao carro o sangramento estancou.

Enquanto conduzia pensava o que vou fazer, como é que eu vou fazer isto sem lhe passar pânico nem stress, cheguei a casa tirei o livro dos primeiros socorros para cães e gatos e lá estava feridas entre os dedos e almofadas – água oxigenada e betadine, fui buscar o kit de primeiros socorros, os líquidos, deitei-a no chão e comecei a ver a pata, lá encontrei a ferida minúscula, desinfectei, limpei, dei-lhe mimos e ela deixou-me fazer tudo como se entendesse que era para bem dela. No fim dei-lhe um osso como recompensa e ouvi uma voz a dizer “Prova Superada”.  

Pode vos parecer coisa pouca mas vê-la a sangrar foi uma das piores sensações que já tive. E percebi as pessoas que me diziam: “ quando fores mãe isso passa-te” pois tem de passar não há outro remédio. 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *