Entrevista Gonçalo Cadilhe

Excerto:

“Acreditas que as viagens podem ser preponderantes da formação dos indivíduos? Uma pessoa é diferente pelo facto de ter viajado?

RDevia ser, mas tem que estar predisposto para a mudança, para o enriquecimento. Se sair de casa com certezas, dogmas e preconceitos cimentados, não há viagem que consiga formar ninguém. Da mesma forma, se estás predisposto para a mudança podes nunca sair de casa e conseguir essa formação, que eu chamaria cidadania, de uma forma completamente sedentária. Através da leitura, da educação musical, da participação em um projecto solidário, etc… Se olhares para o panorama actual das viagens, tornou-se tão fácil viajar, que já ninguém sente que está a passar por uma experiência radical, exclusiva, de crescimento e formação. É tudo imediato, fácil, e de consumo massificado. Até a Mongólia já entrou no circuito do turista de Agosto.”

Podem ler a entrevista integral aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *