Desacordo

Chamem-me o que quiserem, mas juro que não percebia a primeira palavra deste título, isto tem algum jeito?

http://aeiou.expresso.pt/contracecao-quase-metade-dos-jovens-europeus-ja-teve-relacoes-sexuais-desprotegidas-estudo=f676295

Quem terá sido o energúmeno que se lembrou disto?

Contracecao mas que linda palavra….o “p” aqui não é mudo, tem utilidade, sem o “p” a palavra torna-se numa coisa desconhecida e sem sentido. Passa de Contracépção ( o acento é para dar enfâse na leitura a palavra original não o leva) para contraceção cujo “e” é mudo quase, porque era para isso que o “p” lá estava para acentuar o é se querem tirar o p pelo menos ponham o acento, assim torna-se outra palavra.

Quem fez o desacordo conhecia a nossa língua? É porque não vamos passar a escrever apenas diferente pelos vistos vamos passar a falar também…. temos que tomar açúcar é? ( o tomar é propositado porque vamos ter de passar a usar léxico de acordo com as alterações, já agora metam-nos todos num barquinho porque estamos no país errado, assim como assim ali mais milhão menos milhão não faz diferença).

Deixamos cá os túmulos do Afonso Henriques, da Amália e o Eusébio vivo ( ele não deixa o Estádio da Luz abandonado) e vamos todos embora assim como assim estar a cuspir na Língua, na Pátria ou nos Antepassados é a mesma coisa, vamos todos para um país novo, mais fácil, mais divertido que assim como assim já o invadimos uma vez, ai perdão descobrimos.

Se querem mudar as coisas para fazer o jeito a quem não quer ter trabalho, pelo menos mudem-nas com pés e cabeça!!! Argghhhhhhh……………

 

ninguém pode ser perguntado por qualquer autoridade acerca das suas convicções ou prática religiosa” (…) “nem ser prejudicado por se recusar a responder”. Constituição Portuguesa art.41 n.3 . Isto quer dizer que eu como professora posso objectar o novo acordo e não ser obrigada a utilizá-lo profissionalmente? Trato já das formalidades que forem necessárias.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *