“Diamantes de Sangue” de Rafael Marques em Formato Digital para todos.

 

A Editora Angolana Maka coloca à disposição o livro Diamantes de Sangue do Jornalista Rafael Marques cujo julgamento se inicia amanhã.

 

NewImage

 

“Em 2011, publiquei o livro “Diamantes de Sangue – Corrupção e Tortura em Angola”, uma investigação do jornalista Rafael Marques, que considerei um dos mais importantes trabalhos para denunciar flagrantes crimes de violação dos direitos humanos nos nossos dias. Para mim, a questão não era se se passava em Angola, na China ou em Portugal. Acredito que o papel de um editor é também este: dar voz a quem ousa dizer a verdade em circunstâncias absolutamente adversas, com base em centenas de relatos de vítimas e familiares, todos  – vítimas, testemunhas e jornalista – correndo risco de vida.

Na altura pensei, ingenuamente, que este livro serviria pelo menos para atenuar a violência quotidiana nas zonas de exploração diamantífera em Angola. Enganei-me. O livro serviu, ao invés, para desencadear uma perseguição ao seu autor. Passados dois anos, soube que eu própria era arguida num processo criminal. Fui submetida à medida de coacção de termo de identidade e residência, justamente por ter publicado “Diamantes de Sangue”. Rafael Marques e eu fomos processados em Portugal por nove generais e duas empresas visadas na investigação. O processo foi arquivado pelo Ministério Público Português no mesmo ano.

Amanhã começa o julgamento de Rafael Marques em Angola. Estou naturalmente apreensiva quanto ao seu desfecho.

Enquanto responsável pela editora, a melhor forma que encontro para apoiar Rafael Marques na sua luta é disponibilizar, a partir de hoje, o livro em formato digital, para que todos possam lê-lo e perceber o que está na base de um processo que pode vir a colocar o autor atrás das grades.”
 

Para obter o seu exemplar digital e gratuito do livro basta clicar na ligação seguinte:http://www.makaangola.org/images/files/Diamantes%20de%20Sangue_Rafael%20Marques.pdf
 

Fundação Maria Cristina – Maria da Conceição

Como alguns sabem há alguns meses decidi mudar de vida, começar um novo projecto e um novo rumo. Como recompensa a minha vida começou a ser preenchida por pessoas inspiradoras e extraordinárias.
Com todas tenho aprendido. No sábado passado, o destino apresentou-me a Maria da Conceição e o trabalho da Fundação Maria Cristina.
Uma mulher verdadeiramente inspiradora dedicada a modificar a vida de 600 crianças das favelas do Bangladesh.
Partilho-a convosco.

Barbershops e Outras Quesilias

NewImage

 

Quem me conhece sabe que não sou de feminismos ou outros “ismos “, sabe também que sou extremamente distraída.

De Setembro a Dezembro passei diariamente por esta Barbearia nunca reparei em sinais nenhuns sobre discriminação de genero na porta e muitas vezes olhei lá para dentro porque achava piada ao espaço, lembro-me de ver um cliente lá dentro uma vez, todas as outras vezes estava vazia, talvez porque os preços são um tanto ou quanto puxados.

Nos últimos dias fiquei perplexa com uma campanha anti Figaro’s e parece-me que as tontinhas de Lisboa fizeram o que era suposto para a campanha de Marketing da Barbearia, um lugar vazio a tender para o encerramento de repente torna-se numa espécie de Gentlemen’s Club para os hipsters da Capital.

Ora eu que passei ali à porta diariamente durante meses, nunca me deu vontade de entrar nesse Club vazio porque é que de repente por ter a foto de um senhor e um cão me apeteceria? E porque é que os homens não podem ter direito a um lugar só deles? Eu também pertenço a organizações para mulheres e vou a almoços e reuniões só para mulheres ou também não posso e daqui uns dias entram-me restaurante a dentro uns rapazes com cartazes a chamar-nos nomes? E as despedidas de solteiro e solteira passam a ser mistas? E os jantares com amigas passam a proibidos?

Tenham lá paciência! Ser feminista é uma coisa, ser histérica e pouco inteligente é outra, deixem lá a barbearia para os senhores, além de que este género de Barbearias lembra-me sempre o Sweeney Todd, quem é que quer uma lamina afiada junto ao pescoço? E não me venham com “ah mas é o principio” não é o principio nem o fim foi uma manobra de Marketing e vocês caíram que nem umas patinhas. 

Lumbersexual

À cerca desse tema tão em voga, porque neste pais não há nada mais importante para falar , acho  isto:

Pronto e também não acho piada ao Movember e outros movimentos que envolvam pilosidades faciais, apesar de ser algo extremamente democrático visto que não se conseguem distinguir os homens bonitos dos feios pois ficam todos igualmente horríveis e com ar desleixado.

E assim termina o post mais fútil do ano.